Caminhando, Fotografando ou Pedalando

Seja o que for que deseje fazer, esta região oferece todas as condições para qualquer uma desta opções individual ou conjuntamente. Damos de seguida algumas ideias sobre os principais locais onde estas acções se podem desenrolar.


O Passadiço Fluvial, com uma extensão de 1,5km, entre o Fluviário de Mora e uma pista de pesca a montante, permite “caminhar e observar a natureza que rodeia o rio Raia.
O passadiço, em madeira, permite ainda o acesso a um caminho de terra, que se prolonga por mais de cinco quilómetros e vai até Cabeção, “convidando a um passeio a pé ou de bicicleta na área envolvente [ao Fluviário]”.
A infra-estrutura é o “pontapé de partida do futuro Centro de Interpretação Ambiental (CIA)”, a concluir até ao fim do ano, que incluirá um Parque de Arborismo e é mais uma componente do Parque Ecológico onde o Açude do Gameiro com a sua praia fluvial também estão inseridos.


 Mora fica praticamente a meio da Ecopista Liboa-Badajoz que, tal como a Ecopista Mora-Évora, ainda tem alguns troços que apresentam dificuldades de utilização.

De qualquer forma, é possível fazer alguns percursos interessantes, sobretudo com a possibilidade em juntar os sectores da Ecopista Mora-Évora (assente na antiga linha de comboio) com outros caminhos ou trilhos que tanto podem passar por arvoredo (sobretudo pinheiros ou sobreiros), como junto de pontos de água (ribeiros, açudes ou charcos).

Estes percursos são sempre interessantes independentemente da época do ano pois há sempre um equilíbrio nas condições em que podem ser feitos.



Referências


Consulte-nos. Temos o Programa para si...