O que visitar?


Com mais ou menos relevância, são imensos os pontos de interesse para visitar em Mora e arredores. De alguns daremos um maior detalhe seguidamente.


Fluviário de Mora

As Lontras (Fluviário)
As Lontras (Fluviário)

A concretização do Fluviário de Mora visou a criação de um equipamento único em Portugal, de natureza científica, cultural e de lazer que, recriando o universo aquático, consolidasse uma vertente educativa e ambiental.

 

O conjunto das exposições, visualizadas através de modelos vivos e dinâmicos é uma mais valia na apreensão de amplos e abrangentes conhecimentos relacionados com a percepção da importância da biodiversidade e da riqueza ecológica associada, dos programas de conservação da natureza. Como pólo de desenvolvimento local, o Fluviário permitiu valorizar o Concelho através da criação de novos empregos directos e indirectos, contribuindo para a diminuição das assimetrias regionais e dinamizando a economia local.

 



Santuário de Brotas

Brotas e a sua Igreja
Brotas e a sua Igreja

O Santuário de Brotas liga-se, segundo a lenda, a um milagre ocorrido c. de 1440: uma vaca que pastava teria caído ao fundo do barranco no qual hoje se ergue a igreja; um pastor achando o animal já morto propunha-se esfola-lo quando lhe surgiu a Virgem com o Menino e lhe disse que no local construísse um templo em veneração da sua imagem que miraculosamente ali talhou do osso da canela da vaca, que entretanto o pastor havia amputado; após a aparição o pastor constatou que vaca estava viva e com os membros intactos. A fama do milagre levou ao local inúmeros romeiros em particular do Alentejo e da península de Setúbal; era tal modo elevado o número de fiéis que acorriam ao local que o culto da Virgem se desenrolava no adro da igreja, num altar exterior construído para o efeito; rapidamente o nome de Brotas se projectou além-fronteiras sendo recordado na toponímia de vários países, como no Brasil, com 4 localidades com esse nome e 5 arquidioceses cujo orago é Nossa Senhora das Brotas, padroeira dos animais doentes.



Anta de Pavia

Anta em Pavia
Anta em Pavia

A Anta de Pavia, transformada em Capela de São Dinis, é um monumento nacional português localizado na vila de Pavia, em Mora, no distrito de Évora. É uma das antas mais importantes de Portugal, tendo o seu recinto e câmara 4,30 metros de diâmetro, 3,30 metros de altura e um capelo com o volume de 3 X 2,60 metros.

A anta foi erguida entre o IV e o III milénio A.C., tendo sido transformada numa capela dedicada a São Dinis ou São Dionísio no século XVII. A transformação do local em monumento cristão terá recebido influências da Anta-Capela de São Brissos no concelho de Montemor o Novo.
Foi objecto de escavações arqueológicas no segundo quartel do século XX, realizadas por Virgílio Correia.
Encontra-se classificada como monumento Nacional pelo Instituto Português do Património Arquitectónico desde 1910.